Na vanguarda através da investigação

Para o desenvolvimento dos produtos para aquários, terrários e lagos de jardim, é razoável usar como base informações sobre o modo de vida e os habitats dos animais. Como fabricante sério e altamente exigente, a JBL não pretende confiar em informações duvidosas apresentadas na Internet ou em dados antiquados na literatura. Por isso, a JBL opera o seu centro de pesquisa próprio com cientistas experientes, organizando, anualmente, expedições investigativas nas zonas onde se encontram os habitats dos ocupantes dos aquários e terrários, para recolher, da própria fonte, as suas informações.

A pesquisa ativa está dividida em três níveis:

  • Pesquisa básica no Centro de pesquisa da JBL em Neuhofen
  • Pesquisa de campo nas expedições mundiais da JBL para as regiões de origem dos peixes ornamentais e dos animais de terrário Adjudicação de contratos de pesquisa a parceiros de cooperação de renome que realizam pesquisas na aquariofilia e terrariofilia em todo o mundo

Research in the laboratory

Pesquisa no laboratório

Os muitos aquários, terrários e lagos de jardim no Centro de pesquisa da JBL mostram imediatamente o quão importante são os testes práticos: mesmo que, por exemplo, a relação proteína-gordura pretendida de um alimento de peixe seja conhecida aos cientistas, a aplicação nos animais é inevitável. Somente ao alimentar pode ser tomada uma posição no que respeita a aceitação do alimento e, por exemplo, sobre o reforço das cores dos peixes.

Por isso, o centro de investigação da JBL está dividido em três áreas:

  • Aquário
  • Terrário
  • Lago de jardim

“O nosso objetivo é que os animais nos aquários, terrários e nos lagos de jardim se mantenham tão saudáveis para poderem procriar, para que seja possível continuar a reduzir a recolha desses animais na natureza. Isso, no entanto, requer investigação fundamental e de biótopos.”

Roland Böhme, gerente da JBL

No setor dos lagos de jardim, a JBL trabalha em conjunto com conhecidos criadores e importadores de carpas Koi para obter informações significativas. A cooperação com veterinários especializados também constitui uma base importante para o desenvolvimento de produtos.

Para a aquariofilia, os aquários no centro de pesquisa, bem como a cooperação com os piscicultores, os cientistas, os aquários públicos, os jardins zoológicos e os importadores de peixes são a base mais importante. Um permanente intercâmbio de informações é a base necessária para obter informações de pesquisa atualizadas e confiáveis. Através das expedições de pesquisa da JBL, são adicionalmente obtidos dados dos biótopos inestimáveis e feitas valiosas observações da natureza que ainda não estão disponíveis dessa forma, e que confirmam ou negam também frequentemente as informações existentes. Os resultados da pesquisa são incluídos no desenvolvimento de produtos e implementados em instalações de produção de ponta. Por exemplo, o alimento para peixes é enchido nas latas sob gás de nitrogénio e selado, para que a elevada qualidade não seja diminuída através do contacto com o ar. Na seleção da embalagem também se apostou em tecnologia de ponta: em vez de uma folha de alumínio simples para selar as latas de alimento, é utilizada uma película estratificada especial, cujo plástico sela o alimento. Um revestimento de alumínio do lado de fora (para que o alimento não entre em contacto direto com o alumínio que se afigura problemático para a saúde) protege o alimento contra a luz e fecha as latas hermeticamente. Esta é a única forma de garantir a elevada qualidade da JBL!

Pesquisa na natureza

A JBL também realiza pesquisa ativa e expedições em todo o mundo para as regiões de origem dos peixes ornamentais e dos animais de terrário.

Todos os biótopos encontrados são analisados nas expedições da JBL. Nos habitats aquáticos, são realizadas, sob a água em diferentes profundidades, medições de água, bem como medições de raios UV e lux e efetuadas também medições de correntes. Uma vez que estas medições são realizadas em diferentes momentos e por muitos participantes, obtêm-se valores médios úteis que descartam medidas erróneas. As análises terrestres incluem ainda a humidade, a temperatura do ar e a média desses valores. No caso de medições de raios UV, o UV-A e o UV-B são medidos separadamente. As medidas da superfície também estão em foco. Desta forma, é possível determinar como as pedras e outros substratos se tornam quentes quando expostos à luz solar.

Em seguida, explicamos-lhe as três principais áreas:

Enfoque principal da pesquisa: dados de biótopos

Os dados dos biótopos determinados levam à otimização das condições de manutenção, o que, por sua vez, muitas vezes é a base essencial que possibilita uma reprodução dos animais. No Vietname, por exemplo, as medidas das correntes levaram a que um especialista em barbos aumentasse o fluxo nos seus aquários, registando uma primeira cria após alguns dias.

Enfoque principal da pesquisa: luz

A quantidade e a qualidade da luz são essenciais para a manutenção de plantas e especialmente dos invertebrados, como os corais. Através de dispositivos de medição lux com sensores impermeáveis foram realizadas, tanto em aquários, como também em oceanos e águas doces, como o Lago Malawi e Tanganica, medições de luz em diferentes profundidades. A colaboração com institutos de pesquisa de renome, como o IFM Geomar em Kiel, também forneceu resultados altamente interessantes. A Universidade de Ulm disponibilizou laboratórios com tecnologia de medição e laser para realizar medições que não puderam ser realizadas na JBL. Aqui, foram feitas medições específicas para a penetração da radiação UV A e B através de vidro e água.

Enfoque principal da pesquisa: alimentação

As experiências de alimentação são particularmente informativas no que respeita a aceitação do alimento. Nos aquários, a problemática consiste em que a maioria dos peixes já foi acostumada a determinados tipos de alimentos. Portanto, a JBL usa sempre as expedições de pesquisa para realizar experiências de alimentação em peixes na natureza. Somente em regiões, onde os peixes estão habituados aos mergulhadores (p. ex. nas Maldivas), os resultados devem ser tratados com prudência. No entanto, em áreas remotas, onde os peixes nunca viram um mergulhador antes, os resultados são verdadeiramente significativos. A equipa de pesquisa oferece diferentes protótipos de alimentos aos peixes e avalia a aceitação. As observações, como p. ex. a ingestão de folhas de superfície no lugar das plantas subaquáticas, levaram à modificação dos alimentos vegetais, aos quais foram adicionadas determinadas ervas aromáticas como portadores da aceitação.